Orientações para 2012

..
Análise das energias da Numerologia e do Tarô que influenciam 2012 – Programa Universo in Foco (04/01/2012)

Ver no YouTube
*
*

domingo, 2 de maio de 2010

• Ah, essas mudanças...

Abrindo o coração – meu exercício para 2010 – para contar as novidades mais recentes...

Minha vida está dando uma 'guinada' daquelas que mexem com todas as estruturas. É claro que mudança é bom, principalmente quando representa expansão, crescimento e mais liberdade. Porém, tenho alguma dificuldade com grandes mudanças (numerologia com desafio 4) e custei a me dar conta do por que não andava me sentido bem – arroubos de tristeza, cansaço e desânimo. Acontece que de repente, de uma hora para outra, ao mesmo tempo, mexo em dois eixos da minha vida.

Vamos por partes, como diria o velho Jack.

LAR DOCE LAR – Minha mãe indo para Porto Alegre sem prazo de volta. Com a partida de meu pai, acho mesmo que o melhor para minha mãe é estar com minhas irmãs. Aqui, somente eu e o Lucas. Eu saio todas as tardes para trabalhar e Lucas não é companhia a considerar nesse caso. Em PoA ela sempre terá alguém com ela, ou seja, não ficará sozinha a maior parte do dia, com as lembranças e tal. Contudo, meu lado humano insiste em contabilizar uma perda.

Então, terei que acostumar a chegar em casa e não encontrar ninguém, já que o Lucas está estudando à noite. Esse um mês e pouco em que ela esteve por lá me deram uma prévia do que vem pela frente. O silêncio nunca foi tão contundente, a solidão pesou e pesou muito. Reaprender a cuidar de uma casa, cozinhar todos os dias e administrar sozinha o filho adolescente estão entre as tarefas da nova fase. É o ônus da independência. Aff!

CONSULTÓRIO – Foram 10 anos com uma sala no Atelier Zilah Costa (desde fev/2000). 10 anos ótimos, nos quais tive o apoio da Lilia (administradora do Atelier) e me firmei profissionalmente. Guardarei sempre as melhores e mais gratas lembranças desse tempo. Ano passado, com a decisão da venda do prédio, comecei a procurar outro espaço. A princípio, uma sala. Então, me ocorreu de buscar uma sala maior onde, além dos atendimentos, eu pudesse realizar meus cursos, ultimamente realizados no espaço da amiga Fátima Carvalho. Nesta proposta, pensei em compartilhar com alguém o espaço, para amenizar despesas. Então, a questão era: quem???

Eis que, nesse período em que eu pensava a respeito de quem poderia compartilhar tal espaço, um belo dia a Marta me liga dizendo querer falar comigo. Toda “cheia de dedos”, a mimosa me disse que havia decidido procurar um espaço para atender com tarô e que, lembrando que eu teria que sair do Atelier, resolveu perguntar se não gostaria de compartilhar uma sala com ela. Bingo! Hehehe

Para resumir a história, a questão evoluiu de tal maneira que de uma sala partimos para uma casa e de duas pessoas nos tornamos quatro – eu, Marta, Colomby e Chana. Longa espera pela casa que o Jeff ocupava na época – dezembro – e finalmente recebi as chaves da imobiliária no dia 23 de abril. Depois de tantos imprevistos, receber as chaves no dia consagrado a Ogum/São Jorge me pareceu ótimo presságio. (Ogunhê!)

Sexta feira última (30) fiz minha mudança do Atelier para a nova casa. Ainda tem muitos detalhes a providenciar antes de abrirmos as portas, porém em breve teremos inauguração. Daqui a pouco venho contar detalhes do novo espaço e o que pretendemos. Por enquanto, segue aí uma fotinho da fachada.

Concluindo, queridos... Que soprem os novos ventos, pois as velas estão içadas. (acabei de criar isto? gostei. kkk)


4 comentários:

bel disse...

querida, que bom todas estas novidades!
sao impulsos importantes, desejo que sejas muito feliz nesta nova fase!
beijos!

gleidecir disse...

Que maravilha Lú!
Com certeza BONS ventos já começaram a soprar! Tu mereces! Beijão

Ana Beatriz disse...

Parabéns pelos resultados da busca e muito sucesso. Só quem sabe o que quer chega lá. Bjs

Helio Thompson disse...

Amada Lú,
Hoje pude ver(assistir)mais do conteúdo do seu Blog. Assisti aos dois vídeos com muita atenção, e impressionante como tudo está batendo na minha vida. O "3", a Imperatriz, com a companhia da Sacerdotiza...
Enfim,já estou em franco andamento dos estudos segundo a Astrologia e a Numerologia. Caminhos que foram interrompidos, estão se apresetando para mim de uma forma atenciosa e afetiva. Após alguns anos em TOTAL inércia, aparente, sinto que estou num processo de retomada da minha vida. Parabéns e muito obrigado por você, atraves desse nosso encontro, estar me certificando dessas tendências que já estamos vivendo. Como uma forma de retribuir o quanto você se doa, deixo um escrito meu, que está postado nas postagem antigas do meu Blog. Espero que goste.
Muita luz e paz.
Beijos.
Helio

novas sementes

A natureza exata de determinados acontecimentos,
pode ser a necessidade da vida derrubar estilos já cansados e desgastados.
Assim são as crises, que derrubam os alicerces de tudo que só parece ser justo e concreto.
Após estremecerem as bases,
somente fica de pé o que realmente está em comum acordo com o todo,
mesmo que em princípio pareça ser um grande desastre.
A vida mostra que é possível implodir com velhos conceitos,
principalmente quando se pensa que não é capaz o suficiente
de se conquistar as realizações pessoais.
Vinculando as possibilidades a fatores externos,
não permitindo assim desenvolver todo um conhecimento de uma força interna,
que impulsiona para resultados realmente concretos.
Como se fossem condicionamentos enraizados, freios que brecam as ações,
ao longo de muitos anos alimentando pensamentos equivocados.
É capaz quem acredita ser capaz,
por mais que sofra com a pressão derrotista que pode assolar os olhares.
Quando dizem que a felicidade é seguir determinados padrões,
na verdade podem ser condições ilusórias e passageiras,
que só servem como alimentos para os eternos insatisfeitos.
Jamais todo vazio será preenchido através de determinadas conquistas,
somente através da força dos sentimentos nobres,
que podem fazer com que o ser humano seja mais humano.
Até o mais nobre deles, o amor,
pode ser compreendido através das exigências na condição de valores palpáveis.
Contrapondo o sublime direito do amor simplesmente já existir e ser,
sendo nada mais preciso para que ele possa se manifestar livremente.
Fazendo dessa forma com que tudo o mais não tenha nenhuma importância,
acabando em cinzas.
Toda aparente destruição que se possa avaliar,
pode ser uma forma da vida provocar que germinem novas sementes,
para que assim retomem a direção das suas verdadeiras essências.

Helio Thompson